/Perfil

  • Segen Estefen: um mineiro em águas profundas

    Mineiro, de Juiz de Fora, 66 anos, Segen Farid Estefen tornou-se craque no esporte e na engenharia voltada para o mar.

  • Helcio Orlande: um craque dos problemas inversos

    Carioca, Helcio Rangel Barreto Orlande, 53 anos, nasceu em uma família de apaixonados por veículos automotores. Filho de um engenheiro, viu na Engenharia uma escolha natural. Com uma trajetória de sucesso na academia, tornou-se referência no estudo de Problemas Inversos em Transferência de Calor.

  • Carolina Naveira Cotta: uma atleta na engenharia

    Carioca, nascida no Leme, Carolina Naveira Cotta, 37 anos, toca a vida com performance de atleta. Na universidade, revela a craque que deixou as quadras para atuar no campo da ciência. Seu dia parece ter 32 horas: ministra aulas, pesquisa, orienta, cobra com rigor a produção dos alunos, publica artigos, ganha prêmios e administra uma família com três filhos, Victor, Clara e Gabriel, com 15, 8 e 7 anos, respectivamente. Mas o que mais intriga os que com ela convivem é vê-la fazer tudo isso como se estivesse jogando um amistoso.

  • Perlingeiro: escolhas difíceis em favor da Coppe

    Em 1961, prestes a se formar em Engenharia Química, o jovem Carlos Augusto Perlingeiro aceitou o convite do professor de quem era monitor, Alberto Luiz Coimbra, para fazer parte da primeira turma do curso de mestrado que Coimbra ainda iria criar.

  • Glaydston Ribeiro: vocação para a integração dos saberes

    O capixaba Glaydston Mattos Ribeiro, 40 anos, optou por uma formação multidisciplinar ainda na graduação. Cursou Engenharia Civil, com ênfase em transportes, e se interessava pela Ciência da Computação. Com habilidade para integrar saberes, contribuiu para a implantação do Programa de Pós-graduação em Energia da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES).

Páginas